terça-feira, 26 de abril de 2016

Como escrever para a web?

escrever internet
Começo por partilhar algo que não compreendo, porque fazem "copy-paste" sem publicar os autores? Que ganham com isso? Eu quando publico "algo" que não é da minha autoria, deixo claro quem é o autor...Não copiem, sejam originais. Pensei publicar este artigo em pdf bloqueado, mas, decidi, o fazer assim...Se quiserem copiar, como muitos o fazem, peço, que pelo menos identifiquem o autor...Obrigado.

Escrever para online, é diferente de escrever para offline
Web Copywriting
Utilizadores Web – 5 características que definem os utilizadores web
1 - No ambiente online temos que pensar mensagem no contexto de tecnologia
2 - Temos que pensar as ideias no contexto de interação
3 - Utilizadores são ativos e não passivos (1 clique e desaparecem)
4 - Não leem textos longos
5 - Questionam tudo o que veem

Como se processa a leitura online – Físico 
As pessoas leem mais lentamente e cansam-se mais rápido (esta diferença afeta o modo como criamos conteúdos para a web)
Necessitamos de escrever de forma mais leve; criar conteúdos mais fáceis de interpretar – VISUAIS –

Como se processa a leitura online – Comportamental
Utilizadores são impacientes – muito
Leem na diagonal
Olha para títulos e subtítulos
Procuram links e palavras específicas
Saltam de um lado para o outro; sobem e descem na página; Narrativa não linear

Diferenças entre Online e Offline
Lemos no papel:
Narrativa linear – a história está definida pelo autor
Lemos online:
Narrativa não-linear – Uma parte do tempo é gasto na pesquisa de informação (definimos a história)
Em situações de necessidade de leitura por mais tempo, estamos mais permissíveis a uma leitura no papel (quantos livros já leu? Quantos e-books já leu?)

Ao pensarmos para online devemos:
1 - Ajudar os utilizadores a encontrar a informação de forma fácil.

2 - Dar respostas rápidas e concisas.

3 - Proporcionar meios para o consumo de informação diferenciadora e de forma parcial.
 (veja-se o exemplo deste blog: Eu tento sempre dar respostas de COMO FAZER; ao contrário de uma grande maioria de blogs nesta área que se limitam a dizer o que não fazer, mas isso já quase todos sabemos, o que interessa é como fazer e exemplos reais – informação útil e com mais valias para quem lê -).

4 - Usar a “multimédia” e “interatividade”.

Fatores que influenciam a sua escrita para a web
Posicionamento – Target – canal comunicação

Explicar; informar; persuadir e entreter
Afeta a forma como os utilizadores navegam no site – Questão funcional.
Afeta a forma como os utilizadores interagem com a marca online – Questão emocional.

Para o webcopy convencer o utilizador a executar a ação, são necessários 3 elementos:
1 – Chamar a atenção
2 – Comunicar
3 – Pesuadir

Para aplicação destes 3 elementos existe a fórmula A.I.D.A (pequeno à parte, lembro-me sempre de uma namorada de adolescência, a Aida)

Fórmula A.I.D.A
Atenção – Deve chamar de imediato a atenção do utilizador
Interesse – Deve criar o interesse do utilizador no produto/serviço
Desejo – Deve transformar o interesse em desejo de posse
Acão – Deve influenciar o utilizador a executar uma ação

Estratégia a utilizar
1 – Conhecer os objetivos
Porquê criar conteúdo?
A que necessidade se destina?
Qual o principal benefício?

2 - Conhecer o target, para poder satisfazer as necessidades
O utilizador é preguiçoso – perceba a melhor e mais fácil forma para comunicar a sua informação.

3 – Linguagem simples (mas cuidada)
Conteúdo deve ser entendido por todos

4 – Conciso
Potencia a leitura
Dá valor ao tempo dos utilizadores (que é sempre pouco, para fazerem tudo o que querem)

5 – Evite o exagero
Palavras e conteúdos desnecessários é para esquecer
- Este artigo já vai longo, mas é formação –

6 – As palavras devem acompanhar o design do site
O layout não pode ser futurista e as palavras antigas

7 – Revisão
É necessário tempo para ler, rever e voltar a corrigir e rever, rever…Demora tempo escrever conteúdo original (copy-paste nada de valor acrescentado oferece)

8 – Publicar
Passado algum tempo rever ou coloque datas (daqui a 6 meses um utilizador que leia, vai pensar ser atual e se não estiver, não volta ao seu site, indique sempre a data ou vá revendo o que escreve)

Seja objetivo / vá direto ao assunto
Torne imediatamente acessível a informação que o utilizador procura (pirâmide invertida)

Utilize tags; links e difunda por sites parceiros, redes sociais…

Utilize destaques – Realce palavras ou informações importantes

Mix de texto jornalístico e publicitário – Uma boa mistura, melhora a eficiência, a objetividade, fica mais verdadeiro mas com um toque de persuasão.

Conteúdo relevante – Qualidade não é quantidade (existe de tudo, claro)

Escolha dos títulos
Vivemos ou morremos pelos títulos – Já tive mais que um email em que o conteúdo mesmo era basicamente (gostei muito do teu artigo, era o que eu procurava, mas foi difícil chegar até ele, pelo titulo, nunca pensei que fosse isto). SIM, já errei e continuo a errar em muitos títulos de artigos, normalmente por eu ser um pouco teimoso.

Título deve ter impacto, que obrigue o utilizador a ir ler.

Tamanho da letra deve facilitar a leitura, nada de 8 ou 80 e cuidado com a cor de letra vs cor do fundo.

Abv
Nada de abreviaturas de palavras, são aceites as de organismos por exemplo ONG.

Imagem forte a ajudar o texto, sempre.

O mercado quer conteúdo relevante que não seja, apenas, promoção de produtos.

Marketing de conteúdo 
Os utilizadores procuram marcas que satisfaçam os seus desejos;
Os ajudem a resolver problemas;
Que contem boas histórias

As marcas para sobreviver na web, tem de ser criadores de conteúdos relevantes, produtoras de ferramentas que promovam o relacionamento com o mercado.

Ofereça ao utilizador
Algo que ele se lembre de nos (ofertas, brides, produtos exclusivos…)
Que aprenda (blog com conteúdo…), se divirta (passatempos…), interaja com a sua marca (feedback, comentários a publicar nos detalhes dos produtos comprados, com a referência ao nome do utilizador…)
Que use no dia-a-dia

Desta forma criamos:
Laços – Competências – Credibilidade
Sentimentos necessários para a fidelização

Notas:
A credibilidade de uma empresa, baseia-se no que ela comunica ao mercado e no que o mercado fala acerca dela
Estimular os utilizadores a falar na sua marca deve ser uma estratégia adotada.

Mas o que é simplificando Marketing de conteúdo?
Transformar informação da marca em conteúdo de divulgação não procurando a venda (no momento). É gerar conhecimento sobre matérias que enriqueçam o consumidor.

Ex. Se tivermos uma empresa de consultoria em contabilidade, falamos sobre o calendário fiscal; damos dicas de contabilidade…

Se tivermos uma Florista, falamos sobre as diversas espécies, quais as ocasiões em que se oferece cada uma delas, como cuidar delas em casa…

Se tivermos uma empresa de eletrodomésticos de cozinha, falamos sobre receitas…

A marca deve mostrar um estilo de vida em torno do produto que pretende vender
Devemos fazer com que a marca crie na mente do consumidor VONTADE; SONHOS e IDEIAS, que se materializem através dos nossos produtos.

Ex. Vendemos bicicletas para a prática de BTT
Criamos um blog em torno do tema; ter entrevistas com atletas; artigos de opinião; reportagens das provas; calendários das provas…

O utilizador está saturado de publicidade

Conte uma boa história…Quem não gosta?

Marcas com uma boa história, são as mais desejadas; Aproxima-se da vivencia dos consumidores; uma boa história atrai os media (buzz); gera novo conteúdo à volta da marca; ganha elevado grau de disseminação; transforma as pessoas em veículos de transmissão, divulgam a marca livremente; PROPORCIONA À MARCA UMA PERSONALIDADE – DISTINGUE-A DAS OUTRAS MARCAS.


Fim da primeira parte…é intervalo…depois volto para a segunda parte. Continua este jogo, comigo?

0 comentários: