sábado, 14 de setembro de 2013

Microbooks - Growth Hacker Marketing

Ryan, o autor que já tinha tido um enorme sucesso com "Trust Me, I’m Lying", começa o livro a explicar como teve contacto com este novo conceito. Foi num jornal, ao ler um artigo de Andrew Chen, que lhe chamou a atenção pelo facto de o título pôr em causa as suas próprias funções: director de Marketing. 

O que Chen advogava – e que constitui o núcleo racional deste livro – era que as pequenas empresas e startups, na ausência de grandes budgets, tinham aprendido a hackar o sistema para conseguir crescer e sobreviver, de uma forma não muito diferente às que os vírus inventam quando realizam mutações para se tornarem sobreviventes, resilientes e com sucesso no seu micromundo.

Ryan parou para pensar. Estaria ele próprio e tantos outros directores tradicionais de Marketing ameaçados por este novo modelo, por essa inovadora forma de gerir e de crescer? Dropbox, Twitter, Pinterest e Evernote eram algumas das empresas que surgiam no horizonte como exemplos deste tipo de crescimento a partir do nada, com uma rapidez inédita no panorama do mundo empresarial.

Ryan descreve, recorrendo a excelentes exemplos, como as pequenas empresas conseguem criar modelos hábeis para crescer rapidamente num mundo em permanente mutação. Mas o autor vai mais longe, ao demonstrar que algumas grandes empresas também recorrem a alguns modelos híbridos desta natureza – e que eles têm imenso potencial em si – um recurso notável e que cria muito apetite para todos os marketers de empresas com dimensão nos seus mercados.

Finalmente, o livro tem o condão de responder ao novo paradigma dos microbooks (Harvard Trends): um custo abaixo de três dólares e apenas 50 páginas. Muito bom.

in. jornaldenegócios

0 comentários: