terça-feira, 30 de julho de 2013

Teleperformance vai recrutar 1200 pessoas em Portugal

A multinacional Teleperformance vai recrutar 1200 pessoas este ano em Portugal. 

A vencedora do prémio "melhor empresa portuguesa para trabalhar", na categoria de mais de 1000 trabalhadores, não pára de crescer. Para concorrer a estas vagas basta ir ao ‘site' da empresa em teleperformance.com e candidatar-se.

Procuram-se quadros com fluência em línguas e que "façam os clientes sentirem-se especiais quando contactam os centros da empresa" descreve João Cardoso, CEO da Teleperformance em Portugal em entrevista ao Capital Humano do ETV. Salários competitivos e possibilidade de progressão na carreira são dois dos pontos fortes que fazem com que a empresa tenha sido eleita como uma das que oferece melhores condições de trabalho. Só no ano passado promoveram cerca de 230 quadros. O que resulta de uma opção de gestão de recursos humanos que promove a liderança.

" Elegemos como grande objectivo ser uma escola de líderes", acrescenta o CEO da empresa. Até porque "em qualquer sector de actividade a principal razão para um trabalhador se sentir bem é sempre a chefia directa", sublinha João Cardoso. Assim a empresa faz uma "aposta fortíssima em formar os melhores líderes". E exemplos não faltam."Temos jovens com 22 ou 23 anos que estão a gerir equipas de 15 a 20 pessoas, lugares que há quem nunca atinja ao longo de toda uma carreira noutras empresas", acrescenta.

Só no ano passado a Teleperformance contratou cerca de mil pessoas, revelou João Cardoso. "Fomos seguramente a empresa que mais cresceu e que mais recrutou em Portugal", acrescenta. Com cerca de 4 mil pessoas, a empresa em Portugal presta serviços a algumas das maiores multinacionais do mundo em 24 línguas diferentes. Só no centro de Lisboa "temos 200 alemães a trabalhar". E desengane-se se pensa que vai trabalhar nua função rotineira e sem possibilidades de progressão, diz o responsável máximo da Teleperformance.

"Oferecemos salários competitivos e oportunidades de desenvolvimento e progressão de carreira dentro da própria empresa", conclui. Para o CEO da Teleperformance, Portugal deve apostar em atrair mais centros de competência internacionais para o país porque tem todas as condições que lhe permitem concorrer em termos mundiais neste sector.

in: jornal económico

0 comentários: