quinta-feira, 25 de julho de 2013

Marketing ao vivo promete estreitar contato real entre marca e consumidor

Primeiro congresso brasileiro de 'live marketing' vai discutir formas de aumentar a experimentação e a realidade no relacionamento com o cliente.

Para alguns, ir ao supermercado nem sempre é uma tarefa prazerosa, mas há anos empresas do setor varejista vêm pontuando formas de tornar esse momento mais interessante. Entre um corredor e outro, o cliente encontra não só um, mas vários demonstradores de produtos. Queijos, vinhos, pães, entre outros produtos, são apresentados aos consumidores ali mesmo, no momento da compra.

E a estratégia funciona: quem nunca experimentou uma dessas novidades e aproveitou o embalo para levar o produto para casa? A demonstração de produtos no ponto de venda é apenas um dos vieses possíveis do chamado Live Marketing – ou marketing Vivo, como prefere chamar o presidente da Associação de Marketing Promocional (Ampro), Kito Mansano. No ano passado, esse mercado movimentou no Brasil nada menos de R$ 40 bilhões – 17% a mais em relação aos valores de 2011.

Quem achou que evolução do comércio digital poderia acabar com os pequenos prazeres das compras, se enganou. Segundo Mansano, o que acontece é justamente o contrário. “O consumidor está cada vez mais comprometido com a experiência”, diz. Essa mudança tem a ver com a realidade imposta pelas mídias sociais.

Muito mais participativo e exigente, o consumidor abandonou a posição passiva e usufrui desse canal para dividir suas experiências – sejam elas boas ou ruins. “O maior desafio não é só levar o consumidor até o ponto de venda, mas fazer com que ele sinta essa experiência de forma positiva”, explica Mansano. O caminho? Realidade e transparência – daí o maior destaque da experimentação em detrimento à publicidade convencional. “Se a publicidade vender uma realidade que não existe, hoje o consumidor tem canais suficientes para criticar e prejudicar a imagem da marca em escalas gigantescas”, afirma Mudança de posicionamento.

Na esteira dessa mudança de perspectiva para o mundo da publicidade que acontece o primeiro Congresso Brasileiro de Live Marketing . Ao longo dos dias 28 e 29 de julho, profissionais como Patrick Flynn, diretor técnico do Cirque Du Soleil, Fernando Chacon, diretor de marketing do Itaú, e Roberta Medina, idealizadora do Rock in Rio, se reunirão para debater o assunto em São Paulo.

Segundo Mansano, a ideia é reestruturar as divisões deste mercado, dada relevância estratégica do contato pessoal na rotina deste novo consumidor. O chamado marketing promocional ficou pequeno: agora eventos, campanhas, encontros, entre outros, fazem parte do planejamento. “Estamos falando da parte viva e ao vivo do marketing”, diz. Com isso, Mansano deverá encabeçar após o congresso a formação do Sindilive, Sindicato que reunirá empresas de Live Marketing.

in:http://economia.ig.com.br

0 comentários: