domingo, 14 de novembro de 2010

As 10 regras de ouro do porta-voz - Gerir empresas em tempos de crise

1 - Estar sempre disponível para os órgãos de comunicação social. Não falar não impede a notícia e dá sempre uma imagem de que não se controla a situação e se tem medo.

2 - Averiguar os dados de que o jornalista dispõe e a informação de que necessita, de modo a poder preparar melhor a intervenção.

3 - Transmitir a mensagem da empresa no início da entrevista, independentemente da pergunta, utilizando a fórmula "Antes de mais, gostaria de esclarecer..."

4 - Recordar e reforçar os pontos fortes da empresa, entre os quais a qualidade, o compromisso com a saúde pública, a garantia de segurança ou outros, adaptados à empresa e ao mercado em que opera.

5 - Ser claro e coerente, ou seja, dar respostas breves e fazer afirmações contundentes. Não abusar de tecnicismos e de valores. Recorrer a exemplos.

6 - Não entrar em temas delicados ou conflituosos. Neste tipo de perguntas, deve repetir a mensagem-chave. Nunca deve dar opiniões pessoais nem responder com um "sem comentários".

7 - Reconhecer que não dispõe de dados suficientes e comprometer-se a esclarecimentos posteriores, usando fórmulas como: "Neste momento, não possuo dados suficientes para o esclarecer. Mas quando estiverem disponíveis serão fornecidos.

8 - Não interromper as perguntas e evitar respostas de sim ou não. Deve tentar dar explicações completas e aproveitar para repetir a mensagem-chave.

9 - Não repetir a pergunta do jornalista, principalmente se ela incidir sobre uma questão negativa. Esta atitude pode ser interpretada como aceitação da acusação incluída na pergunta.

10 - Nunca mentir ou inventar quando não tem dados. Perante perguntas delicadas, se não tiver resposta, deve repetir a mensagem-chave.

Conclusão:
O contacto com os órgãos de comunicação social requer preparação e formação. Em situações de crise, em que as necessidades de comunicação aumentam, antes de falar com os órgãos de comunicação social o porta-voz deverá fazer a sua preparação.

O porta-voz é a imagem da empresa e, como tal, terá de ter alguns cuidados especiais que devem ser trabalhados e treinados. O porta-voz tem de ter características especiais mas, fundamentalmente, tem de adoptar posturas sérias e serenas, para que transmita segurança e credibilidade.
Para aparecer em público, deverá usar vestuário sóbrio e liso, deve dirigir o olhar para o entrevistador ou a assistência e EVITAR GESTICULAR.


in: gestao de crise

0 comentários: