segunda-feira, 13 de abril de 2009

Crise é oportunidade… para reorganizar e reconverter o sector!

Imobiliário:

Com ou sem o dom da Fé, celebrámos a Páscoa; um tempo adequado à meditação e reflexão! Do lado de cá, continuamos a acreditar e a tornar possíveis dias melhores, do lado de lá, continuam a chegar boas notícias que superam as expectativas.

Enquanto na tradição cristã, celebrámos a passagem da morte à vida pelo renascimento de Jesus Cristo e na tradição judaica se celebra a passagem da escravidão à liberdade, todos sem excepção, crentes e não crentes, em família ou entre amigos, continuamos a encontrar neste período, um tempo de reflexão, desfrutando dos primaveris raios de Sol.

Do lado de cá, no boletim mensal de Abril, o BCE antecipa que a recuperação económica acontecerá de forma gradual ao longo de 2010. Pelo menos até lá, a crise continuará a apertar o orçamento das famílias, a fazer crescer a oferta e a reduzir a procura de casas. A única lição que poderemos retirar desta persistente depressão, é que nada será como dantes, e no novo ciclo económico que ainda está para vir, nem todos os imóveis se irão valorizar e da mesma forma.

No nosso País, mais de 500.000 imóveis continuarão a procurar comprador e se um dia os tribunais funcionarem em tempo útil, muitos milhares de imóveis irão engrossar um alternativo mercado de arrendamento. É que nós também continuamos a sonhar, que um dia em Portugal, os “nossos” “Madoff´s”, “Fritzel's” e outros criminosos, sejam julgados e condenados ao cárcere com celeridade.

Para os mediadores imobiliários esta é uma fase de reorientação do seu negócio, apostando numa maior qualificação dos seus profissionais e na prestação de mais e melhores serviços imobiliários para fazer face à crescente procura de aconselhamento, por parte dos particulares vendedores e compradores de casas.

Menor volume de transacções e negócios, menos clientes mas com mais necessidades a satisfazer, implicam uma focalização na quantidade e qualidade dos serviços a prestar. Por isso na rede imobiliária ERA continuamos a acreditar e a construir dias melhores. Para muitos promotores e construtores imobiliários, este período de arrefecimento construtivo também deveria servir para uma reorientação e, nalguns casos, reconversão da sua actividade. Não é possível continuar a construir como até hoje!

O custo de “fazer bem” de forma planeada é o mesmo do que “atamancar” de forma desordenada. No mercado residencial “prime”, fruto de um “pricing”menos especulativo face a Espanha e outros destinos mediterrânicos e de uma menor dependência da conjuntura económica, surgem cada vez mais investidores e clientes particulares principalmente oriundos de Países emergentes, procurando produto imobiliário de qualidade em construção e localização.

Angola, Brasil, China, Rússia, Médio Oriente, costa Leste dos EUA, são os emissores desta nova procura. Também a “Kasa do Futuro” situada na Ericeira, uma das casas mais inteligentes da Europa, já tem comprador e ainda de acordo com a Sotheby’s fez disparar a procura deste tipo de produto imobiliário.

Se do lado de cá, crise é oportunidade para alguns, do lado de lá tem sido regra. A IV Edição do Nordeste Invest superou todas as expectativas; 1320 investidores internacionais oriundos de 12 Países, comprovaram que o Brasil e o seu Nordeste, têm tudo para dar certo e continuam a dar certo.


*Jorge Garcia é Director de Comunicação da Era Portugal.

Fonte: Casa.sapo

0 comentários: