quinta-feira, 10 de Abril de 2014

Conseguir mais vendas na Internet



1. Ganhar contactos de qualidade 
Estando visível em numerosas palavras chave, pode aumentar o tráfego qualificado com destino o seu site. E quem diz aumento do tráfego alvo, diz aumentar os contactos, orçamentos e vendas. 
A Lembrar: 40% das visitas de sites de internet provêem dos motores de busca (e portanto, do Google).

2. Desenvolver a sua notoriedade junto de um público alvo 
Em vez de ser visto por 30.000 pessoas que não estão interessadas nos seus produtos, esteja visível junto de 5000 consumidores alvo. 
A Lembrar: 100 milhares de pesquisas são feitas a cada mês no Google e 80% das empresas usam a internet para encontrar os fornecedores e os produtos que precisam. 

3. Gerar tráfego no seu site de internet 
Devido ao referenciamento natural, o tráfego do site aumentará rapidamente, o que provoca um aumento rápido de potenciais contactos. 
A Lembrar: Estudos demonstram que 68% dos utilizadores de internet clicam num dos três primeiros resultados de pesquisa do Google. 

4. Obter um ROI (Return of Investment) incomparável. 
O referenciamento natural é certamente o meio mais eficaz e mais barato para encontrar o seu público alvo. Contrariamente a um anúncio na imprensa que já foi visto por milhares de pessoas desinteressadas, o referenciamento natural irá atingir principalmente os seus potenciais clientes. 
A Lembrar: Após algumas semanas de referenciamento, os projectos vêem o número dos seus contactos e das suas vendas pelo site de internet aumentar! 

5. Ganhar a confiança dos utilizadores de internet 
Quando uma empresa se posiciona naturalmente nos primeiros resultados do Google, significa que o motor de busca o escolheu de entre os outros todos por causa da sua pertinência. Esse posicionamento dá confiança aos utilizadores. 
A Lembrar: 77% dos utilizadores de internet preferem clicar num link natural em vez de o fazer num link pago quando efectuam uma pesquisa.

Exemplo real: Ao desenvolver artigos originais, ter trabalhado as palavras chave, meta-tags, entre muitas outras "tasks" (inclusive horas e horas dedicadas ao projecto), num curto prazo de tempo consegui que um blog de uma garrafeira em Portugal se torna-se numa referência (é o blog pertencente a uma garrafeira mais visitado em Portugal (estadoliquido-garrafeira.blogspot.pt).

expeteo.pt

quarta-feira, 9 de Abril de 2014

Vencer em tempo de CAOS


Sinopse
Conveniente e prático Vencer em tempo de caos é um guia indispensável para todas as empresas que sobrevivem às tempestades económicas de hoje e querem prosperar na inevitável turbulência do futuro. Estamos numa era inteiramente nova, com períodos cada vez mais frequentes de turbulência económica. Inversamente às recessões do passado, as crises de hoje exigem que as empresas desenvolvam uma nova mentalidade, desperta para os períodos de perturbação, e lhes permita prosperar enquanto se encontram sob a ameaça constante do caos. Neste livro, o autor best seller, Philip Kotler e John Caslione defendem que vivemos numa época de contínua turbulência que requer uma nova estratégia, apresentando como solução um revolucionário conjunto de orientações destinado a ajudar as empresas.
Em Vencer em tempo de caos encontrará um inovador sistema de gestão que ajuda a minimizar a vulnerabilidade das empresas e a aproveitar as oportunidades, colocando-as à frente dos seus concorrentes. Contrariamente à sua concorrência que permanece presa às mesmas tácticas de sempre: os grandes descontos no preço, os cortes nos investimentos em marketing, no branding e desenvolvimento de novos produtos, terá de desenvolver uma atitude disruptiva. O sistema apresentando irá ajudá-lo a repensar integralmente o modo como gere durante uma recessão e outras situações de turbulência, incluindo como:
- Desenvolver sistemas de alerta para a identificação dos primeiros sinais de perturbação.
- Antever os piores, os melhores, e os mais esperados cenários, utilizando as estratégias adequadas para lidar eficazmente com cada um deles.
- Reduzir os custos ou aumentar estrategicamente a eficiência em departamentos específicos: financeiro, tecnologia da informação, produção, compras, e recursos humanos.
- Garantir a sua quota de mercado no segmento do núcleo de clientes.
- Comprimir o planeamento estratégico em ciclos de três meses, para ter maior controlo sobre a empresa.
- Evitar as consequências potencialmente catastróficas de abandonar princípios essenciais.
Com muitos exemplos de empresas que foram capazes de resistir com sucesso à turbulência, bem como casos que foram à falência por não se encontrarem preparados para enfrentar o caos, este livro oferece-lhe ensinamentos e estratégias práticas. Este texto vai apoiá-lo não só a sobreviver à actual crise económica, mas também a prosperar no meio dos insucessos que possam surgir no futuro.
Fonte: WOOK

quarta-feira, 2 de Abril de 2014

Dicas Grátis para Vender Mais - Quando o Vendedor se Acha Dono da Razão


Antes de fazer uma pergunta, lembre-se sempre: Para vender ou persuadir, tem de fazer com que a outra pessoa se sinta importante.

O potencial cliente tem sempre de se sentir  inteligente, certo? Então, nunca faça uma pergunta a que ele não saiba responder. Como exemplo:

Se perguntar a alguém se sabe quanto custa cada fotocópia que tira na empresa e o potencial cliente não souber, ele vai ficar embaraçado. Evite esta situação a todo o custo. Se não tiver mencionado o assunto sobre o custo das cópias efectuadas na empresa, deve perguntar se dispõe de informações sobre as fotocopiadoras existentes na empresa. Será provável que sim. Se lhe disser especificamente quais as informação que precisa, ele pode as dar, mas se presumir que o potencial cliente as sabe e ele não souber, vai acabar numa situação desconfortável, e será provável que outro vendedor mais sensível e capaz de fazer o potencial cliente se sentir importante, fique com essa venda.

Seja sensível e por vezes, é preferível passar por "menos conhecedor" e ganhar o negócio do que "por chico-esperto que sabe tudo", mas não faz negócios...

Concorda?

terça-feira, 1 de Abril de 2014

Dicas grátis para vender mais - O que nunca pensou...


Pegue no jornal da sua zona de residência e leia todas as noticias. Assinale as que têm histórias locais que envolvam potenciais clientes. Depois faça o que faz qualquer vendedor de sucesso que procura sempre mais e contacte essas pessoas. Recorte ou digitalize esse artigo e envie uma carta ou email muito sucinto "vi uma noticia sobre si (ou sobre a empresa) e como trabalho nesta área, espero um dia o conhecer pessoalmente. Pensei que talvez gostasse de ter uma cópia extra do artigo, para poder partilhar com os seus colaboradores, clientes ou fornecedores". 

Nunca se esqueça de incluir o seu cartão de visita. As pessoas adoram saber que apareceram nas noticias e poder partilhar ao máximo essa informação. Ao fornecer este pequeno serviço de forma descontraída, pode vir a ganhar muitos negócios.

Ainda está a ler este artigo? Vá já procurar as noticias que o ajudem a vender mais...

Gestão de Empresas - Aprenda a Entrevistar em 5 minutos


É difícil encontrar bons funcionários. Se é gestor e já colocou um anuncio num jornal e/ou na internet, sabe que os bons funcionários não se encontram facilmente. Provavelmente já recebeu 100 ou 200 curriculos em resposta a um anúncio e pensou de imediato "heiii, isto é que são interessados em trabalhar na minha empresa". Alegria de curta duração, certo?

Começa a analisar as respostas e o que mais diz a si próprio? "...o que levou esta pessoa a se candidatar?"..."O quê, pedi o mínimo de 10 anos de experiência e responde-me a dizer que nunca trabalhou nesta função?"..."Esta resposta é brincadeira, só pode...", entre outros pensamentos.

Mas, depois de escolher os candidatos e marcar a entrevista, vem a parte mais complicada. No momento de entrevistar os candidatos, sente-se à vontade e sabe o que deve fazer? 

Vejamos então 5 simples passos para entrevistar melhor (candidatos aproveitem para se preparar com as respostas ;)

1. Boas vindas
Receba os candidatos calorosamente e converse informalmente com eles para os ajudar a descontrair. Perguntas sobre o tempo, se tiveram dificuldades em chegar ao escritório, ou de como souberam da vaga de emprego, são sobejamente conhecidas e funcionam ainda muito bem.

2. Resumir a função
Com poucas palavras e de forma bem clara, descreva a função em si, o tipo de pessoa que procura e o processo de entrevista que irá utilizar.

3. Faça as perguntas e oiça muito bem
Perguntas relevantes para o cargo que devem abranger a experiência do candidato, a formação e o que tiver relacionado com o cargo. Investigue se é o candidato que procura e não monopolize a entrevista a tentar vender o cargo em si (acontece mais do que se pensa).

4. Pontes fortes e fracos
Sim, utiliza-se desde sempre e recomenda-se. Irá ajudar a prever o comportamento futuro, saber o que fizeram e como fizeram noutras empresas. Peça para enumerarem estes pontos e as respostas podem ser muito reveladoras. Peça exemplos que sustentem os pontos fortes e pontos fracos (atenção à linguagem corporal e tempo de resposta, se alguém diz que é polivalente e depois não consegue lembrar-se de um exemplo que sustente o que afirmou, é "estranho", certo?).

5. Conclusão da entrevista
Dê sempre a possibilidade de o candidato acrescentar alguma informação que o mesmo considere ser relevante e necessária para a tomada de decisão. Permita igualmente que o candidato faça algumas perguntas sobre a empresa (se este não as fizer, incentive de forma dissimulada a perguntar...se o trabalho de casa foi feito o candidato viu o site da empresa, página do Facebook, noticias, tudo e mais alguma coisa sobre a empresa, se não o fez, vai demonstrar uma grande falta de conhecimento da empresa para a qual quer trabalhar...Não demonstra responsabilidade, interesse (nem inteligência)...nada preciso de escrever, certo?)
Agradeça sempre o interesse de terem-se disponibilizado para a entrevista e diga-lhes quando irão ter uma resposta por parte da empresa (respondam sempre, seja positivo ou negativo, mas sobre este tema, irei escrever outro artigo).


Artigos Relacionados:

Competências essenciais para ser vendedor

quinta-feira, 27 de Março de 2014

XV semana nacional do Marketing



15ª semana nacional do Marketing irá realizar-se de 7 a 11 de Abril. Os eventos principais serão o Congresso Nacional de Marketing, que se realiza no próximo dia 9 de Abril em Lisboa no Museu da Electricidade / Fundação EDP e que irá contar com um programa em torno do tema a “Reanimação do Consumo, das marcas e da Economia”, e a Marketing Leaders Night, que se realiza no Porto a 10 de Abril, no auditório do IPAM, sendo um evento dedicado ao debate de ideias por parte de destacados líderes do marketing sobre o tema central da Semana.

Paralelamente a estes dois eventos, a APPM irá levar a cabo a 3ª edição do “Roadshow de Marketing” um evento itinerante co-organizado pelas Escolas e Universidades aderentes de todo o País.

terça-feira, 25 de Março de 2014

Marketing viral - Os 3 anúncios com mais cliques em 2013

Marketing viral - o sonho da publicidade de hoje. Veja os três anúncios com mais cliques em 2013.
Em primeiro lugar aparece um vídeo feito para a marca Dove (da multinacional Unilever): "Dove Real Beauty Sketches" foi premiado no Festival de Criatividade de Cannes e foi co-concebido pelo português Hugo Veiga, que era redator na Ogilvy São Paulo.

Em segundo aprece um vídeo da Turkish Airlines: "Kobe vs Messi The Selfie Shootout", com Kobe Bryant e Lionel Messi a competir pela melhor selfie:  

 A Volvo Trucks fecha o pódio com o vídeo protagonizado por Jean-Claude Van Damme:


Fonte destes dados: Visible Measures

segunda-feira, 24 de Março de 2014

Trabalhar mais e melhor - Saber motivar

Para imprimir e colocar pendurado no tecto de todos os gabinetes/escritórios, armazéns, corredores da empresa....

Dicas Grátis para Vender Mais - Um telefonema que influencia a venda


Como um telefonema muda a imagem de uma empresa

Mais uma vez, venho afirmar e realçar que "todos, mas TODOS" os colaboradores que atendem e fazem telefonemas numa empresa, seja de que ramo forem, deviam frequentar uma formação de telemarketing.

Quando se atende um telefonema numa empresa, infelizmente ainda existem muitas pessoas que não dão o devido valor e infelizmente, administrações de empresas que nada ligam sobre a forma como é feito os telefonemas ou como são atendidos (pensam que não é isso que afecta os lucros da empresa...Não se lembram que são muitos factores e por vezes poucos que fazem ganhar e perder clientes, tentam saber se é do preço, da qualidade dos produtos e por vezes, são de coisas tão simples como um potencial cliente estar com dúvidas se irá trabalhar com essa empresa, e no meio dessas dúvidas, detestou a forma como foi atendido telefonicamente. É a "gota de água" para não trabalhar com essa empresa).

O atendimento telefónico varia de pessoa para pessoa, porque devemos respeitar algumas regras básicas, mas sempre adaptar o discurso à nossa personalidade (obrigado pela aprendizagem a excelentes profissionais que me ajudaram nesta área e que continuam a informar-me das últimas tendências, resultados obtidos, entre outros dados cruciais ao desenvolvimento e implementação de estratégias comerciais).

Mas porque razão eu insisto neste assunto de bem atender telefonicamente? Vejamos...

Telefonema (expressões reais utilizadas num telefonema).
Da empresa para um cliente:
Cliente - Tô sim
Empresa - Tô, Tô, olhe, estou a ligar para dizer que chegou o seu material
Cliente - Mas fala donde
Empressa - Hããã, é da XXXXXXX
Cliente - Á, tá bem...eu passo aí depois, então...
Empresa - Sim, tá bem...hããã, mas vem cá hoje?
Cliente - É, mas eu estou a falar com o Sr. xxxxxx?
Empresa - Não, é com xxxxxxx
Cliente - Pronto, eu depois então passo aí...
Empresa - Tá bem

Diferença
Cliente - Tô sim
Empresa - Boa tarde, Sr. xxxxxx, o meu nome é xxxxx e estou a ligar da xxxxxx para o informar que os produtos encomendados por si já chegaram. Tem disponibilidade para os levantar hoje á tarde ou amanhã de manhã?
Cliente - (vai se comprometer com uma data)
Empresa - Sr. xxxxxx, está marcado então para o dia xxxx às horas xxxx. Posso o ajudar em mais algum assunto?
Cliente - Não, obrigado
Empresa - Sr. xxxxxx, permita-me agradecer a sua atenção e lhe desejar um óptimo dia.
Cliente - Obrigado e igualmente
Empresa - Prazer em o ouvir, obrigado

Nota:
Num telefonema, fica a primeira e última mensagem, se é importante, e muito, a maneira como iniciamos uma conversa, a forma como terminamos é igualmente importante. 

Importante:
Mas eu não falo assim ao telefone...Está certo, disso? Grave todas as suas conversas e depois as escute com atenção...

quarta-feira, 19 de Março de 2014

Aprender Mais - Porque razão não tenho retorno no Facebook?


Nos dias de hoje é normal eu ler e ser questionado porque razão existem páginas no Facebook que tem nas suas listas de amigos centenas ou milhares de amigos e que o retorno a nível de "gostos", comentários ou partilhas é praticamente nulo. É normal...

Entre as várias razões posso identificar algumas.

Limpeza de listas por parte dos utilizadores
Ao principio e um pouco como em tudo na vida, quando foi novidade, todos ou quase todos aceitávamos e fazíamos pedidos de amizade e gostos em páginas de empresas, como alguém que come pipocas "quanto mais melhor". Neste momento e por razões que vão da privacidade ao próprio amadurecimento da rede social e da experiência como utilizador, é normal e frequente a "limpeza" das listas de amigos. Ficam com o que apenas tem interesse real para o utilizador.

Aquisição de gostos indiscriminadamente
Por responsabilidade de quem chefia ou de quem está a gerir as plataformas sociais (maioritariamente por desconhecimento) o retorno era medido pelos "gostos" obtidos, e então adquiriam publicidade no Facebook para esse aumento, mas sem uma estratégia definida o que levou a que cerca de 90% (por vezes mais) dos "amigos" dessas páginas nem sequer são potenciais clientes. 
É preferível ter 1.000 "amigos" que são potenciais clientes do que 100.000 que nem se lembram que são "amigos" da página da empresa.

Conteúdo adequado e interessante
Como em tudo, por exemplo nos blogs, o conteúdo original e interessante é meio caminho andado, limitar-se a fazer copy-paste de noticias ou de artigos publicados por terceiros, apenas resulta e pouco numa primeira fase. Sei que não é fácil ter conteúdos originais para publicar diariamente mas existem profissionais dedicados apenas a gerir redes sociais e lojas online/site institucional e felizmente cada vez mais empresas apostam em ter "um vendedor online". Se na "rua" apostam em vendedores profissionais, porque razão não apostam num "vendedor online profissional" e incutem essa tarefa a qualquer pessoa?
Nota: Se este conteúdo não fosse original e interessante, ainda o estava a ler?

Conhecer o target e tipo de comunicação a utilizar
Fundamental conhecer os seus potenciais clientes e as redes sociais em que está presente e quer obter retorno. Se no Twitter por exemplo, podemos publicar 100 vezes, no Facebook é óbvio que não. Se no Twitter podemos publicar com um tipo de comunicação, no Facebook já deve ser diferente. Dependendo e muito do tipo de negócio, lembre-se que a empresa até pode comercializar artigos de luxo com muito interesse ou artigos mais específicos de pouco interesse geral, mas uma coisa é certa, ninguém gosta de publicidade, inundar a página do Facebook da sua empresa com posts comerciais é o caminho para o desinteresse geral.

Nota: Publique fotografias por exemplo que apelem aos sentimentos das pessoas (sentimentos positivos, alegria, felicidade, sonhos (uma fotografia de um produto seu mas num lugar de luxo, com uma bela praia ao fundo), humor (com bom gosto), etc...Lembre-se, antes de publicar veja o que vai colocar e pense: Eu se visse "isto" no Facebook, dava-me vontade de partilhar?

EdgeRank
Quem utiliza o Facebook, já notou que nem tudo o que é publicado aparece nos feeds dos seus amigos e vice-versa. O responsável por tudo isso é o EdgeRank. Um algoritmo usado para medir a relevância das publicações, usando alguns critérios. Ele é semelhante ao PageRank do Google. No entanto, as páginas e os anúncios também passam por esse filtro o que explica que nem todos os usuários que gostam de uma página receberão todas as actualizações feitas. Com base em pesquisas realizadas,apenas 12% dos fãs visualizam as actualizações de status de uma página.


terça-feira, 18 de Março de 2014

Dicas Grátis para Vender Mais - Definir objectivos realistas e eficazes


Definir objectivos realistas e eficazes

Quando pensou pela primeira vez numa carreira em vendas, provavelmente tinha uma ideia vaga do que significaria o sucesso. Mas agora é necessário transformar essa ideia em imagens nítidas e específicas. Essas imagens irão incentivá-lo quando lhe apetecer deixar tudo e fugir para uma ilha deserta para se deitar na praia, à sombra da bananeira.

Quando definir os objectivos, dever ter o tempo e a privacidade necessários para pensar no que o faria feliz, no que o motivaria a vender como os melhores. A definição dos objectivos deve ser divertida, por isso não torne as coisas tão difíceis que acabe por não definir nada, apenas por receio de errar nas suas conjecturas.

E se errar? A polícia dos objectivos vai bater-lhe à porta e pedir-lhe para fazer uma auditoria aos seus objectivos? Provavelmente não. 

Os objectivos são mapas – e, por vezes, os mapas mudam. Os mapas incluem estradas inacabadas ou estradas em obras que o obrigam a fazer um desvio. O mapa que traça para si próprio é igualmente variável.

Nas fases iniciais da definição de objectivos, deve lembrar-se de duas coisas:

O objectivo deve situar-se acima do seu melhor – mas ser viável.

Não defina um objectivo que não acredite ser possível alcançar. O truque na definição de objectivos é fazer com que sejam suficientemente elevados para o incentivarem a alcançar excelentes níveis de desempenho, mas razoáveis de forma a que possa imaginar-se a alcança-los. Se definir objectivos que não pensa conseguir alcançar, muito provavelmente não se esforçará por alcança-los quando as coisas se complicarem.

Defina objectivos com base na produtividade e não na produção.

Se definir objectivos com base o dinheiro que pretende ganhar, está a condenar-se ao fracasso. É melhor definir objectivos de produtividade; estes irão orientá-lo para que saiba quantas pessoas deve contactar por semana ou quantos telefonemas deve fazer. De qualquer forma, a produtividade antecede a produção, por isso, se definir objectivos de produção, está a pôr a carroça à frente dos bois. Persiga activamente os seus objectivos de produtividade e obterá um aumento de produção. Por exemplo, você é produtivo se fizer 20 telefonemas hoje. Mesmo que só consiga falar com três pessoas, já está a ser produtivo. Você é produtivo se enviar informações e mensagens de agradecimento a essas três pessoas, mesmo que ainda não dêem origem a uma venda.

O facto de ter em atenção estas duas regras de definição de objectivos irá ajudá-lo a idealizar aquilo que é importante na sua vida e a manter-se empenhado.


Artigos Relacionados 

10 simples passos para o desenvolvimento profissional


terça-feira, 11 de Março de 2014

Dicas Grátis para Vender Mais - Ser estudante de vendas


Quando o objectivo é aprender, o ambiente tem de ser o mais adequado. Pegue em papel e caneta, nas brochuras e num exemplar de demonstração do equipamento e feche-se na sala de reuniões da empresa para estudar ou para marcar entrevistas e conversar com a pessoa responsável pela formação, o dono da empresa ou o melhor vendedor. Passe horas a ver vídeos de formação ou a frequentar aulas sobre os produtos. Não esqueça a importância de uma conversa com os actuais utilizadores do produto.

Independentemente do tipo de formação, comece cada sessão com o máximo de concentração. Estas oportunidades valem ouro: seja pontual, ou chegue um pouco antes da hora, leve bastante papel para tirar notas, várias canetas de cores diferentes para destacar as informações mais importantes e seja delicado para com aqueles que partilham consigo os conhecimentos que possuem. 

Aquilo que lhe transmitirem permitir-lhe-á ganhar dinheiro. Trate com o maior respeito os formadores e as mensagens que lhe comunicarem. Quanto melhor tratar as pessoas que estão a ajudá-lo, mais à vontade se sentirão. Conquistará a sua confiança e afecto, o que fará com que lhe disponibilizem ainda mais informações. Pensando bem, é um pouco como vender, não é?

Todo conhecimento sobre o produto é pouco. Os clientes gostam de sentir que o vendedor se mantém a par de tudo o que diz respeito aos produtos e serviços e que é a pessoa mais competente do seu sector.

Artigos Relacionados:

Lidar com as interrupções